::: ROTA X - Moto Clube :::
Aniversariantes
Associe-se
Balancetes
BOLETO ROTA X
Classificados
Distâncias
Diversos
Enquetes
Eventos
Facções
Fotos
Histórias
Hino Rotax
Integrantes
Links
Motoclubes
Mural
Notícias
Passeios
Regimento Interno
Relatos
Textos
Vídeos
 
  logo site Solidario.org.br

 
 
 


Clique no titulo da notícia para ver o conteúdo.


03/07/2015 - ANTIGOS DITADOS

Antigos Ditados de Moto:

- Em uma moto não dá para levar tudo o que você quer, mas cabe tudo o que você precisa.
- O melhor despertador que existe é o sol no cromado.
- Às vezes, a maneira mais rápida de chegar no destino é parar e dormir por uma noite.
- A vida começa aos 40, mas fica mais interessante depois dos 120 km/h.
- Sempre estacione sua moto de ré na guia e onde você possa vê-la.
- Um tanque cheio é o remédio ideal pra esvaziar a cabeça.
- Uma moto em um trailer é como um pássaro em uma gaiola.
- Se não dá pra consertar com WD-40, duct tape ou arame, então é grave.
- Quatro rodas movem o corpo, duas rodas movem a alma.
- Pilote até o trabalho e trabalhe para pilotar.
- Você começa a vida sobre duas rodas com um pote cheio de sorte, e outro de experiência vazio.
- Inseto de noite na estrada tem o mesmo gosto ruim do inseto de dia.
- É preciso muito mais amor pra se dividir o assento de uma moto do que uma cama.
- A única visão bonita de uma tempestade é a que ficou para trás no seu retrovisor.
- Às vezes é preciso uma estrada cheia de curvas para se pensar direito.
- Andar mais rápido que todo mundo só garante que você vai andar sozinho.
- Nunca hesite em rodar além do último poste de luz da cidade.
- Se você não roda na chuva, você não roda.
- Uma moto na estrada vale mais do que três na garagem.
- Respeite quem viu o lado negro do motociclismo e sobreviveu.
- Motociclistas jovens escolhem um destino e vão. Motociclistas experientes escolhem uma direção e vão.
- Um bom mecânico não vai cobrar nada para deixar você assistir ele trabalhar.
- Qualquer problema fica melhor com seus joelhos no vento.
- Boas botas de pilotar não são boas de caminhar.
- Às vezes, as melhores conversas acontecem sem palavras, em motos diferentes.
- Um bom café tem a mesma cara de um óleo 50w.
- Um amigo de verdade é aquele que vem te ajudar quando a moto quebra as duas da manhã no meio do nada.
- Não lidere o trem se você está perdido.
- Todo mundo cai. Outros voltam. Outros não. Outros não podem.
- Se tem moto estacionada fora, a comida dentro é boa.
- Couro fino é bonito de olhar, feio de cair.
- Sempre troque a peça mais barata primeiro.
- Só um motociclista sabe o que um cachorro sente quando bota a cabeça pra fora no carro.
- Existem dois tipos de pessoas no mundo: as que andam de moto, e as que gostariam de andar.

23/01/2014 - Algumas Dicas pra quem anda de moto !!!!

Algumas Dicas pra quem anda de moto !!!!


1. Pense que ninguém te vê
Porque para a maioria dos motoristas, você é invisível, mesmo! Nunca faça um movimento imaginando que o outro motorista está vendo você, mesmo que você tenha acabado de ver seus olhos. Motos muitas vezes não fazem parte das cabeças de quatro rodas.

2. Seja paciente
As conseqüências de encarar um erro ou uma disputa no trânsito começam mal e sempre acabam PIOR. Finja que foi a sua mãe que fez aquela barbeiragem e perdoe a falha.

3. Ponha roupas para encarar um acidente, não uma piscina ou uma festinha de verão
Com certeza, a padaria do bairro é uma viagem de 5 minutos, mas ninguém está planejando comer asfalto, está? As roupas modernas de tecidos ventilados significam que 40 graus à sombra não são desculpa para camisetinhas e shortinhos de surfista (aliás, você sabe pegar onda, por acaso?)

4. Espere o melhor, mas esteja preparado para o pior
Esteja pronto para uma fechada, para uma surpresa que nunca deve ser inesperada. Não existe "apareceu de repente", "veio do nada" ou "eu achei que ele ia… ".

5. Deixe seu ego em casa
As únicas pessoas realmente interessadas em saber se você estava mais rápido que o outro na avenida são o policial e o Detran.

6. Preste atenção no que está fazendo
Tem um ônibus na sua frente parando de repente para um tiozinho que fez sinal em cima da hora. Se ligue!

7. Espelhos mostram só uma parte do ambiente
Nunca mude de direção ou de faixa sem olhar para trás para confirmar que você realmente pode virar ou mudar de faixa.

8. Seja paciente
Espere mais um ou dois segundos antes de entrar na pista, começar a andar ou sair para ultrapassar. Você é pego pelo que NÃO VIU! Aquela olhadinha a mais vai salvar sua pele.

9. Preste atenção na diferença de velocidade
Passar por carros ao dobro de sua velocidade ou mudar de pista para passar por um monte de carros parados é somente um jeito mais rápido de conhecer São Pedro (e se você tiver acumulado méritos para conhecê-lo!).

10. Cuidado com a calçada
Um monte de surpresas acaba chegando das calçadas: sacos com objetos dentro, pregos, antenas de TV, tijolos, escadas, sofás velhos, escolha o que quiser! Procure problemas nos cantos e não ande junto à calçada, você está no tráfego.

11. Carros entrando à esquerda ainda são os maiores assassinos de motociclistas
Não ache que o motorista vai esperar passarem todos os motociclistas antes de se enfiar à esquerda, não. Eles também estão tentando ser rápidos!

12. Cuidado com carros passando no vermelho
Os primeiros segundos após o sinal mudar são os mais perigosos. Olhe SEMPRE para os dois lados antes de cruzar o semáforo depois de aberto.

13. Olhe os retrovisores
Olhe os espelhos retrovisores sempre que mudar de faixa, diminuir a velocidade ou parar. Esteja pronto para se mover se o outro veículo for ocupar o espaço onde você está.

14. Deixe espaço na frente
No Brasil se anda sempre MUITO colado. A regra geral que se usa pelo mundo é de 3 segundos de distância do veículo da frente. Melhor ainda se você observar tudo que aparecer na sua frente para os próximos 12 segundos (no horizonte). Todos os seus problemas estão aí dentro desses espaços.

15. Cuidado com os carros equipados
Eles são rápidos e seus motoristas são agressivos. Não imagine que você passou por ele e que está tudo resolvido, ele está logo aí atrás. Você pode acabar como um novo enfeite na grade frontal do carrão dele.

16. Entrar em curvas em alta velocidade machuca
É a maior causa de acidentes com motociclistas sozinhos e em estradas sinuosas e pistas de corrida. "Entre devagar, saia rápido" é há muitos anos a regra dos campeões das pistas.

17. Não acredite na eficiência da polícia florestal
Se na área onde você está podem aparecer animais, não vá pensar que a polícia rodoviária ou florestal vai conseguir tirar cada um deles da sua frente. Vá devagar, olhe para as margens da Estrada e fique vivo.

18. Já está muito tarde para você começar a usar os dois freios
O dianteiro faz a maior parte da parada, mas um pouco de traseiro na entrada das curvas pode acalmar uma moto nervosa.

19. Mantenha SEMPRE alguns dedos sobre o freio dianteiro
Economize um segundo no tempo de reação a 85 km/h e você pode parar 30 metros antes (e talvez até conseguir escapar do impacto). Pense nisso!

20. Olhe para sua trajetória
Use o milagre da fixação de objetivo em seu próprio benefício. As pesquisas mostram que a moto vai para onde você olha, então olhe para a solução no lugar de olhar para o problema.

21. Mantenha seus olhos em movimento
O tráfego está sempre mudando. Portanto, continue sempre procurando por problemas. Não trave seus olhos em um só ponto por muito tempo, a menos que você esteja realmente em problemas sérios.

22. Pense antes de agir
Avalie com cuidado a situação quando pensar em ultrapassar rapidinho aquele táxi está a 15 km/h numa área com limite de 60 km/h , ou você pode acabar com sua cabeça dentro do carro que virou à esquerda "DO NADA".

23. Não olhe para o chão – levante sua cabeça
É sempre tarde para fazer qualquer coisa quando o problema está a 10 metros . Olhe lá longe e mude a direção.

24. Preste atenção em seu caminho
A maioria dos acidentes acontecem durante os primeiros 15 minutos de seu trajeto, abaixo de 60 km/h , em um cruzamento ou via secundária. É, exatamente, ali por onde você passa toda hora.

25. Pare totalmente em cada placa de "PARE"
Isso, ponha seu pé no chão. Olhe de novo. Qualquer outra maneira de fazer isso pode forçar uma decisão imediata, sob pressão e sem tempo para identificar uma situação de risco.

26. Nunca entre às cegas num corredor de trânsito parado
Os carros devem estar parados por alguma boa razão, e você pode não vê-la até que seja tarde demais para fazer alguma coisa. Não ande a mais de 30 km/h acima da velocidade dos outros veículos. Se estiver a 40 km/h , você vai ver que cair no meio do trânsito não é assim tão confortável.

27. Não abrace um urso!
Se você pesa 50 quilos, por favor não tente rodar por aí em uma estradeira-monstro de 400 kilos! Se você tem só um metro e meio de altura, tem certeza que precisa uma altíssima big trail? Pega leve!

28. Procure pelas portas de carros que se abrem no tráfego
Acertar um carro que desvia de uma porta aberta é exatamente tão dolorido quanto o primeiro caso.

29. Não entre num vício de cruzamentos iguais
Procure placas de "PARE" mesmo depois de uma longa série de esquinas em preferência para você. Se você está imaginando que o tráfego vai parar pra você, vai acabar encarando uma surpresa no mínimo bem dolorida.

30. Tenha espaço para se movimentar quando trafegar
Pilotar dentro de um amontoado grupo de motos é um bom jeito de acabar no meio do mato. Qualquer grupo de motos que valha a pena acompanhar terá um ponto de encontro marcado à frente para reencontrar os "desgarrados".

31. De tempo para seus olhos se acostumarem
Vá devagar e com farol baixo até que seus olhos se acostumem com a escuridão ao sair de lugares muito iluminados. Fechar um dos olhos até chegar ao local escuro também ajuda, senão você estará dirigindo às cegas por uns 2 quilômetros !

32. Domine a meia-volta
Pratique este retorno apertado até ficar bom. Ponha suas nádegas na beirada do banco no lado contrário à curva e deite a moto para dentro da curva, usando seu corpo como contrapeso enquanto gira em cima da roda traseira. É uma excelente manobra para não bater no carro da frente ou para escapar daquele bueiro sem tampa.

33. Quem colocou uma placa "PARE" no meio dessa subida?
Não entre em pânico. Use o freio traseiro para manter a moto no lugar enquanto usa o acelerador e embreagem com atenção para sair sem problemas.

34. Se parece escorregadio, então é mesmo!
Um trecho de chão suspeito pode ser só mais uma mancha. Manteiga? Cascalho? Óleo? Pode não ser nada, mas é melhor diminuir ANTES de pisar num sabãozão. Se não era nada, melhor.

35. BUM!!! Estouro de pneu! E agora?
Sem movimentos bruscos. A moto não estará feliz embaixo de você, então se prepare para usar um pouco de músculos para manter a trajetória. Alivie o acelerador e use o freio bem leve com a roda boa (traseira ou dianteira) e vá procurando a melhor direção para sair da pista. Agora, pode voltar a respirar.

36. Pingos na viseira?
Começou a chover. O asfalto apenas umedecido é muito mais escorregadio que depois de uma forte chuva tropical, e você nunca sabe o quanto ele está liso. Use máxima concentração, cuidado e suavidade nos controles.

37. Emocionado?
Já dizia o velho ditado: "Quando a cabeça não pensa, o corpo padece". As emoções são tão fortes quanto qualquer droga, então observe a você mesmo quando for sair. Se você está nervoso, triste, exausto ou ansioso, sente e conte até 100 mil.

38. Vista roupas adequadas
Ponha roupas que sirvam bem em você e ao clima. Se você está com muito frio ou com muito calor ou brigando com uma jaqueta onde cabem dois de você, você já está em problemas.

39. Deixe seu iPod em casa
Você não vai ouvir o caminhão de cimento a tempo se estiver ouvindo a banda Calipso. A única coisa que vai ficar atraente são seus fones de ouvido como brinde para o pessoal da SALA DE CIRURGIA.

40. Aprenda a fazer desvios de emergência
Esteja pronto para fazer dois desvios de emergência em seguida. Desvie de um obstáculo pela esquerda e logo em seguida de volta à sua trajetória original à direita, e vice-versa. A moto vai seguir seus olhos, portanto olhe para o caminho e não para os obstáculos. Pratique isso até que seja um reflexo normal, sem pensar.

41. Seja suave em baixa velocidade
De nada adianta sua enorme agilidade se você estiver devagar. Tire as forças dos movimentos com um trabalho leve nos freios traseiros. Isso minimiza muito indesejáveis transferências de peso e inércia, e facilita alinhar e posicionar a moto exatamente onde e como desejamos.

42. Piscar luz de freio é uma boa
As setas dos outros veículos te chamam a atenção porque piscam? Pisadinhas leves no pedal ou toques rápidos na manete do freio dianteiro antes de realmente frear sua moto vai alertar o tráfego atrás.

43. Cruzamentos são perigosos, então garanta suas chances
Ponha outro veículo imaginário entre sua moto e o veículo à frente para evitar que outro veículo cruzando acerte você bem de lado. Diminua, assim, pela metade a chance de acidentes.

44. Ajuste sua visão periférica
Olhe para um ponto bem à sua frente. Agora procure ver as coisas ao seu lado movendo apenas sua atenção, sem mover os olhos. Quanto mais você conseguir ver sem virar os olhos ou a cabeça, mais cedo vai reagir aos problemas.

45. Sozinho num semáforo que não muda nunca?
Se for um semáforo inteligente, você pode mudá-lo! Procure um fio sensor de presença antes da faixa de pedestre (um quadrado riscado em preto no chão) e posicione o motor da moto em cima dele (o sensor tem um campo magnético). Se o semáforo não mudar, baixe o descanso lateral bem sobre o fio, que as suas chances de mudá-lo para verde vão melhorar. Se não der, relaxe e espere, você já tentou de tudo…

46. É mais difícil ver à noite
Ajuste e limpe seus faróis e viseiras transparentes e tenha uma visão melhor do que uma simples idéia do que está ali na frente. Ao anoitecer, troque viseiras escuras pelas transparentes.

47. Não trafegue perto ou ao lado de caminhões
Se um daqueles 18 pneus monstruosos estourar — o que acontece com BASTANTE FREQÜÊNCIA – ele vai se transformar em vários projéteis de borracha e aço violentíssimos. A não ser que você goste de brigar com uma chuva de destroços, fique longe ou passe logo por ele.

48. Tire o pânico das paradas de emergência
Desenvolva uma intimidade muito grande com seu freio dianteiro. Procure um lugar deserto e seguro em asfalto liso e limpo. Faça centenas de frenagens começando bem suavemente e freando cada vez mais forte até descobrir aquela força na mão ideal entre a frenagem máxima e a roda travada (frenagem máxima = pneus CANTAM ligeiramente, mas a roda NÃO TRAVA). Repita isso com cuidado MUITAS vezes até ficar muito bom. Pronto.

49. Tenha pneus adequados
Nada do que você leu até aqui vai servir a não ser que você tenha os pneus adequados. Não os subestime. Tenha certeza que eles estão bem calibrados todo tempo. Procure cortes, pregos e outras porcarias que tenham se prendido a eles. Procure sinais de ressecamento e desgaste. Troque logo que puder, os pneus são a essência da dirigibilidade. E não use pneus de marcas diferentes ou novo com usado na dianteira e na traseira, isso muda completamente a estabilidade da moto.

50. Respire fundo Conte até 10. OU até 100.
Desculpe e peça desculpas, dê passagem e vá devagar, apreciando o passeio. Deixar de andar a 130 km/h e demorar para chegar é muito melhor que arruinar sua vida e ir para uma cadeira de rodas ou um caixão

Autor desconhecido.

Fonte: http://www.triciclomania.com.br/noticias13.php

17/10/2012 - VIVA A VIDA!

 


Quando andamos de motocicleta, notamos que a maioria das pessoas não dá bola. Nem olha. Não, não queremos ser admirados quando passamos, até porque sabemos que vocês não sabem quem é o cara, ou o “mala”, se preferirem, que esta pilotando. Portanto, não é prá nós que as pessoas deveriam dirigir seus olhares, mas, talvez, pra moto, que mereceria ao menos uma olhadela de canto de olho, pois trata-se de uma das melhores máquinas que o ser humano já criou e foi feita para sonhadores. Notamos, também, que esse fato inverte-se quando passamos por crianças, pois elas olham, nos abanam, sorriem e você consegue ver aquele brilho no olho. E sabem porquê? Porque elas sonham. Sonham em ser felizes, não especificamente com uma motocicleta, mas elas sabem que, se tem um motociclista feliz passando, é porque ele conseguiu realizar seu sonho e elas, imediatamen te, intue m que também poderão realizá-los, com ou sem motocicleta. Preveem, naquele exato instante em que estamos passando, um futuro brilhante, lindo, pleno, de paz e felicidade. Aquele brilho no olho diz isso. Podemos sentir. Assim como sentimos que a maioria dos adultos não têm esse brilho, pois não sonha mais. Já se entregou à dura realidade da sua vidinha e não fará nenhum esforço adicional para mudá-la. Lamenta tudo a sua volta: o time, a esposa, o emprego, os filhos, o chefe, o governo e esse maldito motociclista, principalmente por saber que esse “fdp” está feliz. Aguarda apenas a passagem do resto de sua vida. Se você é um desses, mude isso! Nunca é tarde! Busque o seu brilho no olho novamente, que está escondido em algum cantinho desse cérebro imenso e desleixado. Não apenas quando passa um motociclista, mas quando passa um carro, um amigo, quando vê uma flor, um jardim, uma casa bonita, uma cidade limpa, pessoas se cumprimentando, namorando ou apena s tomando um chimarrão. Mude a sua rotina, o seu modo de vida! Lute e reconquiste aquele brilho no olho. Volte a sonhar como criança novamente!


Maurício Hermann

10/09/2012 - O bom relacionamento entre motoclubes e motociclistas

O bom relacionamento entre motoclubes e Motociclistas

04 de Setembro de 2012

comentários(0 ) ENCONTRODEMOTOS.com




Em Brasília todo final de semana é visível a enorme quantidade de motocicletas, de todas as cilindradas, circulando por nossas avenidas largas e bem pavimentadas.


Para que haja uma boa relação entre todos os componentes de motoclubes, motogrupos, motocarclubes, com os motociclistas em geral é necessário que haja um bom relacionamento entre os que participam destes passeios, deslocamentos e encontros motociclísticos.


A interação entre Motoclubes deve ser um ideal a ser perseguido por todos. Procurando sempre fazer valer o respeito que eles merecem da sociedade e demais motociclistas. Todos devemos promover a confraternização. É importante começar pela escolha do nome do MC que deverá expressar o respeito que desejamos ter da sociedade.


Os Motoclubes devem estimular a prática de passeios motociclísticos e a integração dos motociclistas com o meio social como um todo. Eles devem desempenhar atividades de caráter beneficente e de assistência social, a parte mais importante, e ainda promover e divulgar o motociclísmo como algo sadio, bem como suas normas de segurança.


O Motoclube deve sempre que possível, lutar por um motociclísmo sério, responsável e fraterno.


A interação/integração entre motoclubes deve ser um ideal a ser perseguido por todos, pois assim serão estabelecidos fóruns de discussão e ajuda para os mais variados problemas que hoje enfrentamos. Entretanto para tudo isto aconteça a segurança se faz necessária.


Quem viaja nas rodovias nos finais de semana e feriados prolongados, pode observa a quantidade de motocicletas trafegando em grupos, sozinhos ou com garupas. Percebemos nitidamente a falta de preparo dos motociclistas, colocando em risco sua vida, da garupa e dos demais usuários da via.


Realizam ultrapassagens indevidas, trafegam e ultrapassam pelo acostamento, imprimem excesso de velocidade, transportam bagagem de maneira errada, desestabilizando a motocicleta. Não sabem entrar em uma curva e quando viajam em grupo, andam emparelhados, lado a lado, sem sinalização de segurança.


Além disto, não se colocam na visão do motorista, principalmente dos caminhões. A falta deste cuidado, esta diferença moto x caminhão, sempre termina vitimando o mais fraco.


Antes de se aventurar nas estradas ou na cidade é necessário conhecimento. Porque qualquer erro pode ser fatal. Razão pela qual a sinalização de segurança se faz necessária.


Para que ocorra esta interação é necessário que os motociclistas conheçam e aprendam a sinalização de segurança. Ela é a mais pertinente, que realmente proporcionará segurança a quem está pilotando e a quem vem a sua retaguarda, podendo ser um membro de seu motoclube ou mesmo outro motociclista. Se houver uma padronização nos procedimentos, com certeza o acidente será evitado.


No meu livro MOTOS NA ESTRADA ensino a sinalização que poderá ser utilizada em deslocamentos de motoclubes, duplas de motociclistas, grupo de motociclistas ou mesmo motos que se encontrem na estrada em deslocamento.


É com esta sinalização que o motociclista vai ter segurança e se orientar, sabendo qual o sentido que a moto à sua frente vai seguir. Sinalizar buracos na pista, óleo, quebra molas, mudança de faixa, parada e saída de pista. Tudo isso usando uma simples sinalização com o braço esquerdo.


A segurança é muito importante e no CTB (Código de Trânsito Brasileiro),  somente o artigo 244 trata sobre motocicletas. Sendo muito pouco tratado esse assunto, tendo em vista as proporções que este veículo tem hoje, já sendo praticamente o principal da maioria dos brasileiros e de suas famílias.


Precisamos permanecer unidos. Porque leis estão sendo editadas sem conhecimento de causa e a motocicleta e o motociclista necessitam de muitas coisas, sendo a mais importante de todas, a segurança no conturbado trânsito de hoje.


Motociclista, mototaxista, motofretista, motoboy, motoclubes, motogrupos e todos os nomes que denominamos, todos estão no mesmo trânsito e por isso a sinalização tem de ser pertinente a todos.


O mais importante é a segurança sempre.


03/09/2012 - ANDANDO EM BONDE

Fonte: DIÁRIO DE MOTOCICLETA

Dia : 31/8/2012
Categoria : Dicas de Viagem


ANDANDO EM BONDE NA ESTRADA



Diário de Motocicleta

Sem a realização de uma pesquisa fica difícil afirmar com assertividade, os motivos que levam um motociclista a entrar em um Moto Clube, Moto Grupo ou montar seu próprio Moto Amigos, mas podemos arriscar afirmando que o fato de viajar em grupo seduza uma boa parte.

Levante a mão quem já não babou em fotos de extensas filas de motociclistas nas estradas afora e desejou estar no meio! E quem não deu uma boa gargalhada dentro do capacete e chegou a ficar arrepiado, quando rodando em Bonde, se viu em um mar de motos a sua frente e no retrovisor?

Em 2012, o Diário de Motocicleta por diversas vezes pode organizar e conduzir grupos de motociclistas em passeios, principalmente aqueles oferecidos pela Casarão Motos Suzuki da qual prestamos Assessoria de Marketing. Mas o que é realidade para muitos e sonho de tantos outros, requer disciplina e organização, para que a brincadeira não gere acidentes.

Visando a segurança e sucesso destes passeios, elencamos algumas dicas e observações bastante úteis aos motociclistas viajantes, principalmente aqueles com pouca experiência em viajar em grupo.


Dividindo Responsabilidades

A regra número um é reunir os motociclistas envolvidos no passeio e fazer um Briefing passando a todos os detalhes da estrada a ser acessada, estabelecendo a velocidade de cruzeiro, que deverá respeitar a menor cilindrada presente, estabelecer as paradas para abastecimento, baseado na moto de menor autonomia, e principalmente, apresentando os motociclistas que atuarão como Ponteiro, Ferrolho e Anjo. Mas que raios são esses caras?

Ponteiro: Geralmente este motociclista é o cara que sabe o caminho de cor e salteado e que puxa a fila, controlando a velocidade máxima do Bonde e determinando mudanças de faixas e ultrapassagens, sempre sinalizando obstáculos e outras ocorrências a sua frente. Na formação, a melhor posição é ficar a esquerda da faixa, de onde ele consiga ver pelo retrovisor a extensão total ou a maior possível do Bonde, bem como o movimento da estrada.

Ferrolho: Este motociclista é o cara que fecha o bonde e possui uma responsabilidade se não igual, superior ao Ponteiro, pois precisa ficar atento ao comportamento do Bonde e aos veículos que vem atrás, informando através da seta, a necessidade de mudança de faixa, por isso é de suma importância que TODOS utilizem SETA e RETROVISOR, pois a ordem de mudar de faixa pode vir de trás para frente.
Por segurança, o Ferrolho deve ser representado por um motociclista experiente e com uma moto de alta cilindrada, que possa correr até o Ponteiro rapidamente em caso de problemas. Tal qual o Ponteiro, o Ferrolho deve-se posicionar na fila da esquerda no Bonde.

Anjo: Geralmente essa “entidade” aparece em Bondes acima de 30 ou 40 motos e é o cara que anda paralelamente ao Bonde trabalhando principalmente na contenção de espaços muito grandes entre as motos. É o cara que pode levar uma filmadora, bem como uma garupa com máquina fotográfica, pois será praticamente a única pessoa com uma visão total do Bonde, podendo transitar do Ferrolho ao Ponteiro.

Não menos importante, temos ainda a “galera” do Miolo do Bonde, que de todos, são os mais responsáveis pelo sucesso do passeio e segurança do Grupo. Convém manter a sua posição no Bonde a viagem toda, evitando sair da formação ou ultrapassar o colega da frente. A distância da moto adiante deve ser constante e evitar ao máximo a abertura de “buracos” no Bonde, pois um carro ou outra moto pode entrar neste espaço, dividindo o Bonde e até mesmo causando quedas!

Todos os sinais feitos pelo Ponteiro devem ser repetidos pelos integrantes do Miolo, de forma que todos estejam atentos a saídas, buracos, lombadas entre outros.


A formação do Bonde na Estrada

Alguns Moto Clubes e Moto Grupos definem na hora do Briefing, a posição de cada um dos integrantes que farão parte do Miolo do Bonde, em alguns casos distribuindo números aos participantes. De qualquer forma, é essencial manter a posição no grupo, atentando para qual moto está a sua frente.
Em rodovias com baixo movimento de caminhões, é prudente usar a faixa da direita, caso contrário, a mais próxima desta.



Na pista, os motociclistas devem posicionar-se como um grande zíper, em fila dupla intercalando uma moto à direita, outra a esquerda, sendo que a distância mínima entre uma moto e outra nunca seja superior a 2m. Uma boa dica é olhar no retrovisor da motocicleta à frente (na fila paralela a sua), se você conseguir ver o capacete refletido no espelho, sua posição é perfeita, uma vez que você não está no ponto cego do motociclista adiante.
Esta distância, vale lembrar, é mais recomendada para velocidades até 110 km/h... acima disso por segurança convém afastar-se um pouco mais.


Ultrapassando veículos

Quando o Ponteiro entender que é preciso mudar de faixa, este dará o sinal de seta e os integrantes atrás dele deverão repassara este sinal até que chegue no Ferrolho. Somente após o Ferrolho mudar de faixa, garantindo que nenhum outro veículo passe, o Ponteiro começará a mudar de faixa guiando o Miolo.


Os Sinais mais usados


Apontar com o pé esquerdo ou direito para o asfalto: significa que há buraco, óleo ou algum objeto na pista e que necessite de atenção e desvio.
Subir e descer a mão sucessivamente: redução de velocidade.

Balançar o braço para trás e para frente, como um remo: significa que o grupo está disperso e as motos mais distantes deverão se aproximar.

Mão apontando para esquerda acima do capacete: significa que irão entrar à esquerda. Esta sinalização não dispensa o uso da seta.

Mão apontando para direita acima do capacete: significa que irão entrar à direita. Esta sinalização não dispensa o uso da seta.

Mão esquerda acima do capacete e realizando círculos no ar: se estiverem em movimento este sinal representará retorno, se estiverem parados – em um posto de gasolina por exemplo – significa que chegou a hora de rodar, ir para estrada.

Mão esquerda fechada acima do capacete: sinal de parada adiante.

Mão fechada com o dedo indicador para cima (número 1): significa que todos deverão assumir a formação de fila indiana – única.

Mão fechada com dois dedos para cima (número 2): significa que todos devem voltar à formação normal.

Braço esquerdo reto com o antebraço balançando: significa lombada ou depressão a frente.

Braço esquerdo para baixo, fazendo círculos com o dedo indicador: Polícia ou radar à frente.

Apontar para o tanque de combustível e em seguida simular uma degola de garganta: significa que a moto entrou na reserva de combustível e precisa parar no próximo posto de combustível.

No caso de abastecimento de Bonde, uma boa dica é parar as motos diante da bomba de combustível em 45°, assim é possível posicionar de 3 até 4 motos por bomba, agilizando o serviço do frentista.



18/08/2012 - DUAS RODAS, FEITAS PRA CAIR?

Duas rodas, feitas pra cair?


 


         Absolutamente, não!


         Para os não adeptos do motociclismo, um dos argumentos mais freqüentes para inibir o uso da motocicleta é o de que se trata de um veículo instável sob duas rodas. Utilizam-se dessa máxima para desencorajar quem quer que seja para o risco de se pilotar “algo” que não disponha de pelos menos três pontos de apoio e garantir uma estabilidade por si só, pois o equilíbrio da máquina mesmo em repouso estaria garantido.


         Porém, a leis físicas da cinética demonstram que é perfeitamente possível e seguro o deslocamento de um corpo sob duas rodas num eixo longitudinal. Somando-se a eficácia do impulso, a baixa inércia permite a saída do estado de repouso da motocicleta, garantindo sua estabilidade durante a trajetória, com uma combinação de forças em equilíbrio numa trajetória linear.


         O que pode provocar uma variação no eixo de estabilidade e, promover uma queda pelo fato de se extrapolar o centro de gravidade da motocicleta em movimento são dois fatores determinantes: os endógenos e os exógenos.


         Os endógenos, referem-se as condições psico-fisiólogicas do piloto, ou seja, as suas condições de avaliação e discernimento com relação ao ambiente em que trafega.


No campo psicológico, os acidentes geralmente estão associados ao estado mental em que o motociclista se encontra. Stress, estado de ânimo alterado após uma situação indesejada, uso de álcool e outra drogas, incluindo-se certos medicamentos, dores, o comprometimento dos sentidos e, até mesmo um mal súbito podem justificar uma queda ou colisão.


Já os fatores exógenos, independem das condições da motocicleta e de seu condutor, desde que a máquina se encontre em perfeitas condições de uso e que o motociclista esteja em suas plenas condições mental e física. Claro que a destreza e prudência são peculiares a cada um, mas isso faz parte de fatores endógenos, desenvolvidos a partir de suas experiências de pilotagem.


Como elementos exógenos e que poderiam provocar a instabilidade da motocicleta, ocasionando a queda de seu condutor, estão as condições de rolamento de sua máquina, ou seja, a perfeita aderência do pneu, adequado ao piso em que se trafega e, evidentemente, levando-se em consideração os demais aspectos mecânicos e/ou elétricos.  Pista molhada diminui o atrito, deixando o piloto vulnerável a quedas. Pedras, óleos, bueiros, trilhos de trens, etc – são verdadeiras armadilhas com as quais o motociclista pode se deparar. Até o excesso de luminosidade pelo automóvel em faixa contrária e pelo sol nascente ou poente, podem trazer riscos a uma bom e seguro deslocamento.


Portanto, o fato de uma motocicleta ser composta apenas por duas rodas não justifica o perigo em si, mas sim um conjunto de fatores que interferem na boa condução da mesma.


E, pra finalizar, considerando-se os fatores anteriormente citados, nada melhor que minimizar os riscos de um acidente obedecendo as leis de trânsito e de fazer o uso de equipamentos de proteção individual. O capacete é obrigatório, mas também é recomendável que se invista em roupas adequadas, botas, luvas, óculos, etc, no intuito de aumentar sua segurança física e proporcionar um prazeiroso e confortável tráfego nos mais diferentes tipos de vias.


Viva a liberdade sobre duas rodas!


Rogério Francisco Vieira.


Curitiba - PR

29/07/2012 - ALMA DE MOTOCICLISTA


Alma de motociclista.




“Alma de Motociclista” é um texto de Tiago Pereira dos blog  Seu Modesto e tiagopereiraBlog.


“O coração pulsa mais forte, bombeando para o resto do corpo uma mistura de óleo, gasolina e asfalto. O dia amanhece e as estradas da vida aguardam ansiosas por seus maiores amantes. Por dez, cem ou até mesmo mil quilômetros, a adrenalina e a brisa no rosto tomam conta daqueles que fazem do viver sobre duas rodas o seu estilo de vida. Um botão da inicio a aventura para aqueles que a buscam, seja debaixo de chuva ou com Sol a pino, o que faz de você um motociclista não são as cilindradas que você pilota, mas as suas atitudes quando está em cima delas.
A mão vira o acelerador e o motor ronca alto, jogando ainda mais alto todo o estresse e as preocupações do dia a dia. É no espaço de tempo entre a partida e a chegada que o motociclista faz o que mais ama, ou seja, percorrer o desconhecido atrás de novos lugares, novas amizades e novos rumos, sempre atento a sua segurança e a daqueles que, assim como ele, prezam muito pelo chegar bem e não pelo chegar mais rápido.
De brasão nas costas, alforjes carregados, capacete e tanque cheio, o que vale é a liberdade, o prazer de pilotar e a quantidade de mosquitos grudados na jaqueta ou no colete, misturados aos mais variados de inúmeros encontros e lugares visitados.
Não somos bandidos, não nos julguem injustamente, somos apenas aventureiros, muitos até pais de família, que fizeram de uma paixão o seu estilo de vida. Somos médicos, advogados, vendedores, programadores, publicitários e empresários de todos os ramos que você possa imaginar. Somos rock and roll e cerveja gelada, chuva fria, sol e praia, pilotos de motos, churrasqueiras e carrinhos de bebês.
Somos motociclistas, não tentem nos entender, nos ame ou nos odeie, não importa, seremos sempre assim, uns loucos outros corretos, caseiros e sem tetos, famílias e puteiros, som alto e som ainda mais alto. Não nos imponham regras, não delimitem nossos espaços, não somos pássaros, mas queremos, e vamos voar sempre.
Motor em ponto morto, a chave gira e as luzes se apagam, o pezinho sustenta agora aquilo que nos levou por tantos quilômetros. Por um breve momento o capacete é deixado de lado, apenas por um breve momento…”

Grande texto, expressa muita coisa!!!

28/07/2012 - 50 MOTIVOS PARA SER MOTOCICLISTA

 


CLIQUE AQUI

28/07/2012 - HISTÓRIA DO "DIA DO MOTOCICLISTA"

Em 1998 constatando a existência de várias datas em que se comemorava o dia do motociclista, o que acabava por tornar a data sem valor, à ABRAM - Associação Brasileira de Motociclistas, iniciou o trabalho para estabelecer uma data única e nacional a fim de se comemorar o Dia Nacional do Motociclista.


Após uma pesquisa, a entidade chegou à conclusão de que era desnecessário criar uma nova data, pois dentre as datas existentes, uma fora criada em 1982 por iniciativa do Deputado Alcides Franciscatto, por sugestão de Rogério Gonçalves, na época, proprietário da Concessionária Honda de Sorocaba, em homenagem póstuma ao seu ex-mecânico, o motociclista Marcus Bernardi, falecido em 27 de julho de 1974.


Como essa data já constava em algumas agendas, a ABRAM fechou questão e adotou o dia 27 de julho como Dia Nacional do Motociclista, atuando imediatamente para a sua efetiva difusão em todo o país, dentre as ações para alcançar tão nobre propósito, a associação criou no ano 2000 a Semana Nacional do Motociclista e o Prêmio ABRAM de Motociclismo, além disso propôs a Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos (Correios) a emissão de um selo homenageando o setor de duas rodas, o pedido foi aceito e em 2001 foi lançado na sede social da ABRAM, na época em Santo André, ABC paulista, o Selo Postal Temático MOTOCICLETAS, uma edição especial com cerca de 1 milhão de cartelas, trazendo um modelo antigo e um atual das 6 maiores marcas de motocicletas presentes no Brasil, o motociclismo entrava então para a história da filatelia nacional.


Parabéns a todos os motociclistas!!!

30/11/2011 - MOTOCICLISTA

Muitos acham que vestimos aquelas roupas de couro apertadas, desconfortáveis, capacetes coloridos apenas para chamar atenção.

Mas uma vez que as viseiras fumês são levantadas, o que se vê são olhos bonitos, limpos e cheios de lágrimas; olhos onde você poderia se perder neles, chegar em suas almas e ver o quanto pura elas são.

Tirando nossas roupas de couro e capacetes, você verá que somos como crianças grandes, nada mais que isso…

Gostamos da vida, de carne, cerveja e tudo que é bom.... Mas também continuamos procurando pela mãe quando as coisas dão errado…

Tem gente que diz que quando montamos em nossas motos, anjos e demônios vão conosco!

Pode até ser verdade. É um tipo de dualismo que faz esse estilo de vida ser tão rico em emoções, que fazem seu coração bater mais rápido, parecendo que vai sair pelo peito a qualquer momento...

Demônios fazem você acelerar.... Irracionais e violentas aceleradas, na hora que a adrenalina corre direto pelo corpo e você fica tremendo por vários minutos...

Anjos carregam com eles a face e as vozes dos que não estão mais conosco; vozes da experiência, que por vezes foram forjadas por ossos quebrados, mas que nos fazem pensar o quanto pode ser doloroso a brincadeira.

Sim é verdade que você pode morrer pilotando uma moto; isso pode acontecer com qualquer um de nós... E machuca, REALMENTE MACHUCA.

Mas nada se compara à quantidade de lembranças fantásticas, em "flashes", que duram uma eternidade de risadas e que deixam a vida muito mais alegre... Risadas altas e profundas que vem do coração, tão altas que fazem o sol brilhar num dia nublado.

Converse com qualquer um de nós. Peça para contarmos uma história de um dos nossos últimos passeios... Alguma curva da estrada de sua montanha preferida ou alguma viagem e você se perderá naqueles olhos sorridentes, naquele sorriso natural que, gradualmente, se espalha pelo rosto inteiro.

Mas converse com qualquer um de nós e pergunte como a vida seria, se algum dia tivéssemos de desistir de nossa paixão... Tudo que você irá escutar é o som do silêncio. E verá que aquele rosto sorridente do "garoto" ficará vazio...

Sim, você pode morrer em uma moto, mas acredite, não há melhor jeito de se viver o pouco tempo que nos é dado!

E se você não entendeu nada até agora, não se preocupe, você nunca entenderá!

Mas se um dia você estiver na estrada, com sua família na segurança de seu carro, e UM DE NÓS passar vagarosamente, e o seu filho, sentado no banco de trás, virar a cabeça e acenar, empolgado, cumprimentando o motociclista...

Não tente entendê-lo...

Ele, com toda sua inocência, vê em nós uma centelha de algo que você nunca reparou!

E pode ter certeza que o motociclista acenará também. Não há nada de errado nisso, pois você sabe que...

ANJOS, NA TERRA, SE CUMPRIMENTAM!

Autor: José Carlos Ramalho – Bodes do Asfalto

Proximo Ultimo

  Conteúdo 1 até 10 de 60